Ciclo de 7 dias sem fermento

naga-matzah.jpgQue mistério maravilhoso são as Festas do Senhor! Ontem foi o segundo dia da Festa de Pães Asmos, pães sem fermento. O primeiro dia coincide com a Festa de Primícias. Isto é porque, além do fato que é assim que Deus estabeleceu, depois do momento que os pecados são perdoados na Páscoa, no dia seguinte se celebra a vida de pães asmos. A Festa de Pães Asmos tem duração de 7 dias, representando um ciclo. Quer dizer que depois do dia de salvação, imediatamente Deus nos chama para vivermos o ciclo de nossa vida sem fermento, sem pecado. Cada dia da Festa devemos nos esforçar para meditar no que significa isso e tirar de nós aquilo que tem sido engano que acumula a cada ano.

Advertisements

Mulher e ser último

image

É essencial entender que as Festas do Senhor não são festas judaicas. Elas são festas bíblicas. A Páscoa  @Pesach que celebramos ontem não é uma festa judaica mas sim uma festa estabelecida nas Escrituras para todas as gerações observarem. Qd entendemos isso, há uma porção contínua de revelações q se recebe do Senhor. Elas deixam de ser algo religioso e se tornam marcos, no calendário espiritual estabelecido pelo próprio Deus, para a nossa vida pessoal e da comunidade.

São dias q Deus determinou para o Seu povo parar e meditar nas verdades que cada festa significa. Toda vez que elas são celebradas o Espírito Santo reparte mais tesouros de entendimento. Eu e minha família temos nos esforçado a organizar nossas agendas envolta das festas e celebrarmos separando tempo para meditar sobre cada uma com irmãos preciosos. Pode ser assentados à mesa repartindo o pão ou em momentos de culto corporativo, mas não tem um ano que Deus não nos visita com revelações maravilhosas!

Hoje, 23 de abril, é dia da Festa das Primícias, que também é o 1o dia da Festa dos Pães Ásmos. Paulo se referiu a ressurreição de Jesus como as Primícias daqueles que dormem (1Cor. 15:20).

Fico pensando sobre esta palavra “primeiro” e me lembro de qd os discípulos discutiam quem era o maior entre eles. Jesus interrompe os argumentos e diz que para ser primeiro é necessário ser o último (Mar 9).

Ser último ofende a natureza humana. Ser último requer considerar os outros mais importantes do que a nós mesmos. Ser último demanda colocar os nossos planos e anseios pessoais para depois dAquilo que a cultura não valoriza. Ser último é colocar o que é Invisível primeiro antes das prioridades da opinião comum. 

Jesus ganhou o direito de ser o primeiro a derrotar a morte pq é o Homem q mais se humilhou de todos os homens. Quantas vezes Ele teve que ativar Sua mansidão, não se apegando no ser Criador, para nos ensinar como ser último e nos amar.

Há muitas razões pq Maria foi a primeira pessoa a ver Jesus ressurreto. Mas posso dizer c certeza q uma delas foi q a mulher tinha o lugar de última e no Reino dos céus Jesus a honrou como a primeira sendo figura da Noiva que o Pai prometeu ao Seu Filho. Jesus é maravilhoso!

Que tal mulheres nos dedicarmos a crescer no ser “último” para podermos ver mais da “ressurreição”?

Grata Páscoa 2016

image

Por todas as gerações (Êxodo 12:14), a Palavra de DEUS nos ordena a celebrar este dia de hoje, a Páscoa do Senhor – dia de gratidão, celebração – dia de memorial, reflexão.

Há quase 2000 anos atrás, neste dia Jesus pagou, com a moeda de Seu sangue, a dívida do pecado de todos os homens e rasgou a barreira que bloqueava acesso a graça e a glória de Deus para toda tribo, língua, povo, raça e nação. Hoje, como em todos os anos de Sua vida aqui na terra, Jesus meditou sobre a saída do povo de Deus do Egito, se livrando de seus deuses falsos para adorar o Único, Verdadeiro e Eterno Deus. Ele se assentou à mesa, comeu, revelou mais mistérios aos Seus discípulos e dividiu a história humana entre a velha e a nova aliança.

Nós como povo comprado também somos chamados para celebrar este dia com muita reverência e seriedade, discernindo o Corpo de Cristo, nos examinando para nos purificar mais e mais dos costumes deste mundo, até o grande e tão esperado Dia da volta do Rei Jesus o Senhor, quando Ele estabelecerá Seu Reino na terra para sempre.

Gratidão e temor ao Senhor neste dia de Páscoa!

Vento não afeta plano dEle

Item-1010-Head-Pillow-3735-GrayJesus está dormindo com a cabeça sobre um travesseiro. Os discípulos estão apavorados com os ventos que os açoitavam e as águas que enchiam o barco. Parecia que era o fim. Eles aterrorizados balançam o Mestre para acordá-Lo e gritam: O Senhor não se importa que todos nós vamos morrer? Não está vendo esta tempestade mortal? Nós vamos naufragar! E o Senhor está aí dormindo, sem fazer nada? Nós vamos morrer!

É difícil acreditar que Jesus estava alheio a situação. Jesus é Jesus! Com aquela confusão toda – imagina um bando de homens fortes desesperados – no mínimo estavam gritando – será que Jesus, o líder, não sabia o que estava acontecendo? Por que em tanto caos, não estava somente calmo mas dormindo confortavelmente? Razão simples: nada nesse mundo poderia afetar o plano dEle.

Que plano? Ah… parece que os discípulos se esqueceram do plano. O plano era sair de um lado do mar para o outro lado. Jesus disse isso: “Vamos atravessar para o outro lado” (Marcos 4:35). Se Ele já havia dito isso, Jesus sabia e confiava que esse plano se cumpriria. Mesmo que ventos fortes fizessem com que o barco se enchesse de água e o barco naufragasse, ninguém morreria e Jesus e os discípulos chegariam no outro lado, porque o Mestre falou. Por isso, Ele podia dormir (afinal Ele também era humano).

O nosso problema é que facilmente nos esquecemos do que Jesus falou conosco no começo e deixamos que as circunstâncias nos afetem de tal modo que as vezes pensamos que Jesus mudou de idéia, por estar calado durante a tempestade. Você se lembra exatamente do que Jesus falou para você? Não importa o que estiver acontecendo, você não vai perecer, se Jesus está no seu barco e você estiver obedecendo a palavra inicial dEle.

Carta ao Brasileiro que mora no Exterior

Você que é brasileiro e mora no exterior, esta mensagem é para você.

Todos nós temos acompanhado os ocorridos no Brasil. Sei que acontecem protestos e manifestações na nossa pátria de várias formas, por muitas razões, por muitos anos. Mas nos meus dias de vida, reações da magnitude das que estão acontecendo nas últimas semanas só se viu na mudança de governo militar para democráta. Eu sei porque nasci e vivi em Brasília e me lembro muito bem dos incêndios na rodoviária, passeatas sem fim e muita baderna em toda cidade.

Eu tinha 10 anos de idade quando minha família saiu do Brasil para o campo missionário. Por plano de Deus, me naturalizei americana, anos depois me casei com um americano e hoje tenho uma filha nascida fora do Brasil. São quase 27 anos longe de onde eu nasci.

Como eu ou em situação parecida, existem milhares de brasileiros que moram fora do Brasil. Parecemos estar tão longe pois para muitos de nós a realidade é diferente. Os protestos não estão acontecendo na nossa porta, não estamos sendo afetados pelas greves, as demandas do povo estão longe do nosso coração… Será que temos alguma coisa haver com a situação acontecendo com o nosso povo brasileiro nesse momento histórico?

A Igreja Brasileira está fazendo a maior mobilização para oração de todos os tempos. E meditando no próposito divino para o nosso povo, comecei a questionar se nós, os de fora, que não estamos vendo nada e quase não somos afetados por alguma coisa que acontece no Brasil, se temos que participar da consagração de oração, adoração, arrependimentos e súplicas.

Tudo na vida é uma escolha, mas há 2 coisas que não podemos escolher – quem são os nossos pais e onde nascemos. Dos pais herdamos pelo menos o DNA. De onde nascemos, herdamos nacionalidade – o fazer parte de um povo. É Deus quem escolhe estes 2 aspectos da nossa identidade.

Há uns anos atrás, quando a Igreja Brasileira estava experimentando um avivamento muito único e poderoso, eu estava na Flórida trabalhando na igreja local, como ministra de louvor e líder do lindo grupo de jovens na Zion Mission. E nós clamávamos a Deus pedindo que por herança era também direito nosso, do povo brasileiro no exterior, de receber chuvas do avivamento que estavam sendo derramadas lá. Como o povo judeo que é abençoado em toda terra, como povo eu reinvidicava os meus direitos das bençãos espirituais da Igreja Brasileira. Oh, e como vivemos momentos fortes de vida no nosso meio! Até trombeta muitas vezes ouvimos durante nossas reuniões.

E agora? Tanta confusão, bagunça, tristeza, dores, gritos, desespero, e até tragédia.

Lembrei-me, então, de 2 pessoas muito importantes na história dos nossos antepassados. Primeiro, Moisés, que foi criado isolado no palácio, sem conhecer a vida do trabalho árduo, equipado de uma educação nobre, e trajado verdadeiramente de realeza, depois de adulto, resolveu ver o seu povo, o povo hebreu. Ficou tão indignado com a situação dos hebreus que se encheu de ira e matou um egípcio. Era o seu povo, sua família, a sua orígem, e Moisés não se conteu. Ele não podia ficar passivo.

Depois veio a memória a amada de Israel, a jovem Ester. Um decreto havia sido assinado para extermínio do povo hebreu e Mardoqueu, tio de Ester, pediu a sua sobrinha que fosse a presença do rei implorar misericórdia e interceder em favor do seu povo. Além de Ester ter uma nova identidade, agora rainha e esposa do rei, estava totalmente ignorante das leis injustas sendo impostas sobre o seu povo de origem.

Como é relatado em Ester 4, ela ouviu a mensagem e respondeu com muitas desculpas. Mas quando Mardoqueu recebeu sua resposta, mandou dizer-lhe:

“Não pense que pelo fato de estar no palácio do rei, você será a única entre os judeus que escapará, pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgirão de outra parte para os judeus, mas você e a família do seu pai morrerão. Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou a posição de rainha?”

É triste ver brasileiros que saem do Brasil e nem sequer perseveram em ensinar seus filhos o português, ou fazem questão de estar em comunidade brasileira, nas igrejas, ou querem ser reconhecidos na rua como brasileiros. Há muita gente culpada disso.

Eu sou grata ao Senhor Deus pelo o povo de qual faço parte. Vejo com olhos espirituais o qual grande propósito Ele tem com nossa nação, que está literalmente espalhada por toda terra. E sei que vamos nos espalhar mais, extendendo o Reino de Deus levando as boas novas do Evangelho de Jesus para os lugares mais difíceis e mais escuros do mundo.

Brasil, em TODA terra, existe um povo…

Brasil, uma gente que te ama…

Vamos entender os tempos. É hora de entrar na presença do Rei implorar misericórdia e interceder em favor do nosso povo, e nos arrepender dos nossos maus caminhos. Naturalizados, espalhados, isolados, exilados, longe, imigrantes, ainda somos povo, povo brasileiro.

Ele fala com ela

Dos lábios das crianças e dos recém nascidos firmaste o teu nome como fortaleza, por causa dos teus adversários, para silenciar o inimigo que busca vingança. Salmo 8:2

O coração puro de uma criança é sensível a voz do Senhor Jesus.

Um dia desse, estávamos eu, Joshua e nossa filhinha conversando, deitados na cama felizes, sobre o dia que tivemos. A Anna, com 3 anos de idade, sabe que comigo ela fala em português, e com papai fala em inglês. Como estávamos juntos, essa conversa em particular estava acontecendo em inglês.

O Joshua começou a fazer perguntas a Anna e ela respondia com segurança. Fiquei observando intentamente.

Ele disse: “Anna, você sabia que Deus tem muitas promessas sobre você?”

Ela responde com muita certeza: “Yes (sim)!”

“Você sabia que há profecias sobre você?”, ele continua.

Ela com mais certeza ainda diz: “That’s right (isto é certo)!”

“Que profecia há sobre você?”, ele pergunta.

Anna responde: “Muslims, Church (muçulmanos, igreja)” Eu devo dizer que essa foi uma palavra que ela nunca havia falado e pronunciou perfeitamente.

O Joshua continua a conversa e perguntou: “Você sabe o que profecia?”

“Yes, the phone”, respondeu depois de um suspiro.

“Ah, sim, é como o telefone, sim. Deus manda uma mensagem”, o Joshua explica.

No meu lado da cama, eu estou abismada com a clareza de mente e seriedade da conversa. Então, quiz fazer a minha pergunta.

“Anna, Jesus fala com você?”, perguntei com expectativa.

“Yes!”, ela responde sem hesitação.

Ouvi uma voz dentro de mim: Pergunte o que Jesus fala para ela.

“Anna, o que Jesus fala para você?”

Sem nenhuma demora, falando como um adulto, ela olha para mim e diz: “He loves me (Ele me ama).”

Ah, Jesus estava ali na nossa conversa em família.

Mais uma vez, vi que nossas crianças, nossos filhos, podem ter experiências marcantes com Jesus, não importando a idade. Se tão somente eles forem ensinados, mostrados e motivados a buscar a Deus na pequenas coisas, eles são capazes de terem amizade com o Espírito Santo e já serem usados por Ele para benção de outros.

Como muitos de nós mergulhamos os nossos pequeninos naquilo que é fantasia, no mundo da imaginação, que muitas vezes leva ao engano, quando somos instruídos para meditar em tudo que é verdadeiro. Podemos não ver com os olhos da carne, mas sabemos que o que é real mesmo é Jesus. E eu preciso aproveitar toda e qualquer oportunidade para mostrar Jesus para minha filha, mesmo com só 3 aninhos.

Como vemos em Salmos, o que sai da boca dos pequeninos tem poder para afetar os inimigos de Deus.

O maior povo não alcançado

“Atualmente, em todo o mundo, o grupo mais propenso à conversão consciente a Cristo são jovens muçulmanos entre quinze e vinte e oito anos de idade. Sua resposta ao Evangelho é mais rápida do que a de qualquer outro grupo, sempre que ouvem o Evangelho de modo claro e o veem vivido na vida de um cristão”. – Josh McDowell

“O que importa, é que sejamos fiéis em cumprir nosso papel no término da Grande Comissão aos muçulmanos, dando-lhes a chance de ouvir a Mensagem do Evangelho de Cristo de modo coerente, levando-os ao ponto de aceitar ou rejeitar o amor e a salvação de Deus em Jesus”. – Joshua Lingel

“Nosso amor pelos muçulmanos nos impele a dedicar todos os nossos recursos – tempo, dinheiro, carreira, dons e talentos – para levar a Verdade a eles ao redor do mundo. Ainda que sinceramente respeitemos o alto padrão moral pelo qual muitos muçulmanos vivem, somos obrigados a discordar da teologia islâmica e a rejeitar os ensinos do Corão e dos Hadis. Queremos que você saiba que sentimos profunda compaixão pelos muçulmanos, como vítimas do maior engano na história da civilização humana.” – Maisel Rocha

Fonte: m3.org.br

Por Ele movemos

Encontramos esta princesa bailarina na Republica Checa e a trouxemos para nossa filha. Gostamos da boneca não só porque era tão linda e rosinha (sua cor preferencial), mas porque ela tinha uma função – ela iria pegar a boneca e fazer com que ela movesse, dançasse como uma alegre princesa bailarina. E isso iria fazer-la muito feliz e todos nós iríamos dar muita risada junto com ela.

Esta boneca me fez pensar muito sobre minha vida com Deus e o ser mãe. Ela repara tudo e presta atenção em tudo o que eu faço. Está muito apegada a mim e me admira e elogia todos os dias. Sei que é uma fase, algo da idade de 3 anos, que faz com que a criança tenha uma aliança muito forte com a pessoa que lhe mais presta cuidados. Isso cria uma oportunidade única para mim e também uma responsabilidade muito grande.

‘Pois nele vivemos, nos movemos e existimos’, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‘Também somos descendência dele’. Atos 17:28

Já ouvi tantas vezes pais dizerem que não impõem Deus em seus filhos pois eles precisam fazer suas próprias decisões. Mas todos os dias vejo na minha filha que grande parte do que ela sabe e é, aos 3 anos de idade, tem fonte começando em mim, como mãe, o Joshua, seu pai, seu Vovô e a Táta, seus tios, amiguinhos da igreja e principalmente a Tia Mimi, professora pastora das crianças.

Lembro-me que quando ela tinha 6 meses, o pastor ficava abismado que na hora do louvor ela levantava as mãos para adorar (porque foi ensinada). Com 1 ano, ela não cantava “Parabéns” (porque não foi ensinada) mas falava “Amém” em resposta de algo maravilhoso na reunião (porque foi ensinada). Com 2 anos, ninguém podia ficar doente em casa porque ela já pedia o óleo (porque foi ensinada) para ungir e orar por cura. Quantas vezes meu pai em crise na sua saúde recebeu alívio de Deus por causa da oração dela (porque foi ensinada)!

Sei que ela já tem experiências com Jesus, pois só Ele mesmo pode trazer tanto entendimento a uma criança. Porém, também sei que ela olha para mim para aprender mais de Deus. E ela precisa ver uma mãe que já morreu para o mundo, sem ídolos e modismos da hora, tanto de ícones de criança como de adultos, que vive, existe e se move somente em Deus. Ainda não sou, mas quero ser esta mãe.

Mais que nunca, nós pais precisamos ser ensinamentos andantes, mostrando para nossos filhos o que é viver para Deus, porque eles estão crescendo numa geração movida pelo virtual. E é tão fácil deixar que a cultura em volta plante conceitos de vida neles, mas nós precisamos fazer o esforço específico de priorizar os valores de Deus, aquilo que vai durar, aquilo que eles lá na frente vão olhar para atrás e agradecer a Deus pela mãe que os ajudou a viver a história linda da vida deles.

E eu, o que posso fazer? Eu tenho que saber que estou sendo vista e que tudo que minha filha ver em mim não pode ser movido por vozes mesquinhas do momento, pela minha carne, pela cultura onde vivo, por valores do mundo ou desta era, mas sim por princípios eternos e pelo Espírito Santo. Como esta princesa bailarina, sem vida por ela mesmo mas cheia de graça por causa do mover da mão do Pai Celestial, eu quero ser.

Por que mais uma tragédia?

Esta semana os EUA novamente sofreram a tragédia de bombas matando e ferindo dezenas de pessoas inocentes. E mais uma vez alguém questiona: onde estava Deus em tudo isto? Já que Deus é amor, por que Ele não impediu aqueles rapazes de infrigerem tanto mal? Deus poderia muito bem ter causado um curto circuito no corpo daqueles 2 jovens em Boston e não conseguirem ativar as bombas, certo?

Vamos meditar em algumas verdades. Não podemos simplesmente dizer que Deus tem um propósito para tudo, principalmente quando o mal acontece, porque o Seu desejo é que “todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade”, 1 Tim 2:4.

Não podemos também dizer que Deus está no controle pois “sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do Maligno”, 1 João 5:18-21.

A razão verdadeira das tragédias, que irão somente aumentar até tudo começar a melhorar com o retorno do Rei, está bem clara logo depois do verso que é a chave de entender toda a Bíblia, “porque Deus amou tanto o mundo”…

“Esta é a situação: a luz de Deus invadiu o mundo, mas a humanidade inteira correu para as trevas. Fugiram porque não estavam interessados em agradar a Deus. Aquele que pratica o mal é viciado em negar a realidade e iludir-se e odeia a luz de Deus e não vai querer se aproximar dela, para não ser submetido a uma exposição dolorosa. ” João 3:19-20 (Mensagem)

Sim, Deus é poderoso para fazer toda e qualquer coisa, mas exatamente por amar a humanidade Ele nos deu uma característica que nos diferencia dos animais, o poder de decisão, o livre arbítrio. Feitos a imagem de Deus, Ele nos deu a liberdade de decidir como vamos agir e nos deu a abilidade de fazer escolhas morais.

Ele poderia ter impedido aqueles 2 jovens irmãos de fazerem suas próprias vontades. Mas para ser justo, Deus também teria que fazer isto com todos nós. Podemos não ser terroristas, mas todos nós já machucamos alguém com ações e palavras e já fizemos alguém chorar com as nossas decisões egoístas.

4668

Vamos conectar mais

Image

Queridos amigos,

Amanhã Joshua e eu viajaremos para Kansas City para as reuniões de planejamento do movimento Transform World e para participarmos da Convocatória Mundial de Oração nos dias 24-27 de março.

Você pode conectar com as reuniões de oração que vão acontecer na IHOP pelo http://www.ihopkc.org/tw.

Eu estarei conectada pelo Twitter @SaraLingel, onde mandarei notícias direto de Kansas City. 

Vamos todos orar juntos em línguas diferentes clamando a Deus por um novo tempo de avivamento e transformação na terra.

Te vejo no Twitter @SaraLingel.

Sara