Há coisas que demandam um clamor de desespero. Ana estava perdidamente angustiada, não por lhe faltar alguma coisa material ou não ter suas necessidades supridas. Existia um destino profético dentro dela que tinha que ser cumprido e nada nesse mundo preencheria, mesmo tendo o amor de um marido. Este propósito divino, muito além do entendimento de Ana, era tão sério que, por causa da ausência da manifestação dele, ela era cruelmente criticada, até pelos da sua própria casa. Ana não tinha como saber a importância do propósito do filho que não tinha, mas ela sabia que não iria se contentar em não o ter, pois cria que Deus a ouviria, mesmo que tivesse que se portar como ridícula. (1 Samuel 1)

Sim, Paulo nos ensina que devemos nos contentar em todas as situações, mas ele falava de coisas materiais, o que comer, o que beber, coisas que podemos possuir neste mundo. Mas há um propósito de Deus em cada pessoa que precisa nascer de um clamor de desespero, como o de Ana. Mas quando eu me conformo com o normal dos outros em volta de mim, perco a fé do algo mais relevante, algo de mais impacto na história da humanidade, e vivo a vida mesquinha do natural. 

Você não pode parar de clamar, para Deus trazer a existência aquilo que Ele criou você para ser. E nunca será sobre você, o seu nome, sua influência, prestígio, o seu bem-estar. Ana clamou, clamou, clamou, e fez um voto de entregar de volta o seu filho para Deus fazer o que Ele quisesse com ele. E porque ela clamou e entregou aquele propósito profético ao Senhor, Deus a usou para ser a mãe de um dos maiores juízes e profetas da terra, o homem que ungiu o maior rei de Israel, cuja linhagem foi escolhida antes da fundação do mundo para trazer salvação para os homens. 

Qual é o propósito profético de Deus em você que ainda não nasceu e que vai marcar a história da humanidade? É o Senhor que abre os seus olhos para ver o que você está vendo e você é a resposta para esta situação na terra. Clame desesperadamente por nada mais, só isso diante de Jesus, mesmo q você tenha que ficar ridículo diante dos homens. Os ridículos, radicais de Jesus, ultrapassam o ambiente natural e vivem na esféra da fé, do sobrenatural.
[Ana Parte 1]

Advertisements