Você que é brasileiro e mora no exterior, esta mensagem é para você.

Todos nós temos acompanhado os ocorridos no Brasil. Sei que acontecem protestos e manifestações na nossa pátria de várias formas, por muitas razões, por muitos anos. Mas nos meus dias de vida, reações da magnitude das que estão acontecendo nas últimas semanas só se viu na mudança de governo militar para democráta. Eu sei porque nasci e vivi em Brasília e me lembro muito bem dos incêndios na rodoviária, passeatas sem fim e muita baderna em toda cidade.

Eu tinha 10 anos de idade quando minha família saiu do Brasil para o campo missionário. Por plano de Deus, me naturalizei americana, anos depois me casei com um americano e hoje tenho uma filha nascida fora do Brasil. São quase 27 anos longe de onde eu nasci.

Como eu ou em situação parecida, existem milhares de brasileiros que moram fora do Brasil. Parecemos estar tão longe pois para muitos de nós a realidade é diferente. Os protestos não estão acontecendo na nossa porta, não estamos sendo afetados pelas greves, as demandas do povo estão longe do nosso coração… Será que temos alguma coisa haver com a situação acontecendo com o nosso povo brasileiro nesse momento histórico?

A Igreja Brasileira está fazendo a maior mobilização para oração de todos os tempos. E meditando no próposito divino para o nosso povo, comecei a questionar se nós, os de fora, que não estamos vendo nada e quase não somos afetados por alguma coisa que acontece no Brasil, se temos que participar da consagração de oração, adoração, arrependimentos e súplicas.

Tudo na vida é uma escolha, mas há 2 coisas que não podemos escolher – quem são os nossos pais e onde nascemos. Dos pais herdamos pelo menos o DNA. De onde nascemos, herdamos nacionalidade – o fazer parte de um povo. É Deus quem escolhe estes 2 aspectos da nossa identidade.

Há uns anos atrás, quando a Igreja Brasileira estava experimentando um avivamento muito único e poderoso, eu estava na Flórida trabalhando na igreja local, como ministra de louvor e líder do lindo grupo de jovens na Zion Mission. E nós clamávamos a Deus pedindo que por herança era também direito nosso, do povo brasileiro no exterior, de receber chuvas do avivamento que estavam sendo derramadas lá. Como o povo judeo que é abençoado em toda terra, como povo eu reinvidicava os meus direitos das bençãos espirituais da Igreja Brasileira. Oh, e como vivemos momentos fortes de vida no nosso meio! Até trombeta muitas vezes ouvimos durante nossas reuniões.

E agora? Tanta confusão, bagunça, tristeza, dores, gritos, desespero, e até tragédia.

Lembrei-me, então, de 2 pessoas muito importantes na história dos nossos antepassados. Primeiro, Moisés, que foi criado isolado no palácio, sem conhecer a vida do trabalho árduo, equipado de uma educação nobre, e trajado verdadeiramente de realeza, depois de adulto, resolveu ver o seu povo, o povo hebreu. Ficou tão indignado com a situação dos hebreus que se encheu de ira e matou um egípcio. Era o seu povo, sua família, a sua orígem, e Moisés não se conteu. Ele não podia ficar passivo.

Depois veio a memória a amada de Israel, a jovem Ester. Um decreto havia sido assinado para extermínio do povo hebreu e Mardoqueu, tio de Ester, pediu a sua sobrinha que fosse a presença do rei implorar misericórdia e interceder em favor do seu povo. Além de Ester ter uma nova identidade, agora rainha e esposa do rei, estava totalmente ignorante das leis injustas sendo impostas sobre o seu povo de origem.

Como é relatado em Ester 4, ela ouviu a mensagem e respondeu com muitas desculpas. Mas quando Mardoqueu recebeu sua resposta, mandou dizer-lhe:

“Não pense que pelo fato de estar no palácio do rei, você será a única entre os judeus que escapará, pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgirão de outra parte para os judeus, mas você e a família do seu pai morrerão. Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou a posição de rainha?”

É triste ver brasileiros que saem do Brasil e nem sequer perseveram em ensinar seus filhos o português, ou fazem questão de estar em comunidade brasileira, nas igrejas, ou querem ser reconhecidos na rua como brasileiros. Há muita gente culpada disso.

Eu sou grata ao Senhor Deus pelo o povo de qual faço parte. Vejo com olhos espirituais o qual grande propósito Ele tem com nossa nação, que está literalmente espalhada por toda terra. E sei que vamos nos espalhar mais, extendendo o Reino de Deus levando as boas novas do Evangelho de Jesus para os lugares mais difíceis e mais escuros do mundo.

Brasil, em TODA terra, existe um povo…

Brasil, uma gente que te ama…

Vamos entender os tempos. É hora de entrar na presença do Rei implorar misericórdia e interceder em favor do nosso povo, e nos arrepender dos nossos maus caminhos. Naturalizados, espalhados, isolados, exilados, longe, imigrantes, ainda somos povo, povo brasileiro.

Advertisements