Você já percebeu que quando nós estamos nervosos, as vezes quando falamos em público, nossa mão ou dedos tremem? Parecem estar fora do nosso controle, como se os dedos ficassem doídos e tivessem cérebro. E se estamos mesmo anciosos, até a nossa voz treme.  As vezes podemos nos concentrar bastante e poder controlar o nervosismo e esses “trimiliques”. Vendo isto, há uns dias atrás, percebi que assim é qualquer corpo que envolve pessoas.

Numa organização, seja uma igreja, uma corporação ou outra instituição onde há líderes e liderados, sempre há aqueles que elaboram e outros executam. Vejo aqueles que executam, o que fazem os planos acontecerem, como as mãos, os dedos, os pés… A cabeça não faz muita coisa a não ser pensar e dar ordens para o resto do corpo, mas os membros mais longe são os verdadeiros representantes das instruções da cabeca.

Não e’ a toa que o salmista diz que “aquele que tem mãos limpas… este subirá ao monte santo do Senhor.”

O sistema nervoso, na sua função mais básica, manda sinais de uma célula para outra, de uma parte do corpo para outra. Se não há sinais claros da mente, os membros de extremidade não se comportam direito.

Vi isto bem evidente numa organização de missões muito conhecida, onde a liderança não determina uma linha de trabalho para seus missionários. Assim, estes trabalhadores ficam livres para fazerem o que bem quiserem e acharem melhor no campo, de acordo com a suas próprias opiniões. Cada missionário desta instituição é autônomo na maneira de fazer a obra. Se princípios são estabelecidos, esta liberdade pode ser uma benção, pois cada lugar tem um povo diferente. Porém, se não há fundamentos fortes e bem explícitos, isto pode ser um grande problema, pois temos a tendência para o erro e até a heresia, e estes continuam representando a instituição e mais importante o Reino de Deus.

Se aqueles do corpo que são os dedos do corpo estão tendo” trimiliques”, não se mostram estáveis ou em conduta correta, pode se checar o sistema nervoso comandado pela cabeça e veremos que tem alguma coisa errada ou faltando.

Que nós, lideres, possamos ser humildes e analizar a situação daqueles “membros inferiores” e assim veremos a qualidade da nossa liderança.

Como é bom e suave quando os irmãos vivem em união, em um mesmo pensamento, na mesma instrução, na mesma visão… é uma unção preciosa, como um óleo, derramado sobre a cabeça de Arão, o líder, e que desce sobre todo o corpo, até a orla do vestido. E é aí, na unidade de próposito, que há benção, vida para sempre (Salmo 133).

O corpo pode sobreviver sem dedos, mãos, e pés, mas se eles não se comportam com saúde, o corpo se torna improdutivo.

“O fato é que as partes do corpo que parecem ser as mais fracas são as mais necessárias, e aquelas que achamos menos honrosas são as que tratamos com mais honra. E as partes que parecem ser feias recebem um cuidado especial, que as outras mais bonitas não precisam. Foi assim que Deus fez o corpo, dando mais honra às partes menos honrosas. Desse modo não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse umas pelas outras. Se uma parte do corpo sofre, todas as outras sofrem com ela. Se uma é elogiada, todas as outras se alegram com ela.” 1 Cor. 12:22-26

E antes de julgarmos a liderança sobre nós, julguemos a nós mesmos, começando na nossa casa e no nosso próprio ministério que Deus entregou em nossas mãos.

Advertisements