Hoje termina a primeira semana do ano de 2010. Já muitas coisas aconteceram, como já fui ao médico para ver como o baby está, meu esposo viajou para Atlanta, tive várias reuniões de trabalho, etc. E também percebi que Deus está me dando uma nova chance de rever as coisas e melhorar na minha caminhada. Creio nas muitas expectativas e promessas para este ano, mas se eu não fizer um esforço, a vida vai continuar a mesma sem nenhuma mudança que Ele está requerendo de mim. Pois o tempo, está passando muito rápido. Sem percerbermos, o dia começa e logo termina.

Numa das reuniões de orações desta semana, me chamou muito a atenção uma passagem que o pastor leu, que está em II Pedro 1:4-7:

“Dessa maneira, ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornassem participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça. Por isso mesmo vocês, empregando toda a diligência, acrescentem à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade; à piedade a fraternidade e à fraternidade o amor.”

Que processo detalhado! Não é a toa que temos tanta dificuldade de operar no verdadeiro amor, que é o maior dom. Sabemos que temos que fazer tudo em amor, mas como não desenvolvemos nessas outras coisas, o amor fica algo tão forçado que as vezes não sabemos se estamos sendo falsos ou realmente autênticos. Isso é motivo mesmo de um estudo e dedicação para aprendermos e vivermos assim, pois o verso seguinte diz:

“Porque se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em sua vida, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos.”

No pleno conhecimento de Jesus… sabemos que Jesus só começou seu ministério aos 30 anos, pois perante a lei esta era a idade que podia ser mestre e ter autoridade perante as pessoas. Mas será que Jesus, nesses anos de preparação para o seu ministério, também não estava sendo moldado pelo o Espírito Santo nestas qualidades para alcançar a perfeição do amor? Isso me deixa a pensar… pois não diz no pleno conhecimento do Pai, ou no pleno conhecimento das Escrituras, mas sim no pleno conhecimento de Jesus, que foi Deus em pessoa, em carne, para nos mostrar como viver aqui na terra.

Mas o que mais me chamou a atenção foi a primeira frase do verso 5, que diz:

“Por isso mesmo vocês, empregando toda a diligência, acrescentem à sua fé a virtude…”

Pensamos que por termos fé, tudo vai simplesmente fluir e podemos chegar no amor. Sim, a fé é somente o começo. Mas a palavra chave nesse verso é a palavra diligência. Quantos de nós vivemos a vida de Deus com diligência? De acordo com o dicionário, diligência significa:

1. Aplicação, zelo, cuidado (para conseguir algo). 2. Atividade, pressa (em executar). 3. Prontidão. 4. Busca.

Por causa da “graça”, a maioria de nós vivemos a base da misericórdia de todo dia e levamos a vida no lema do “Deus sabe”, “Deus entende” e sem empenho nenhum ou com pouco empenho nos fazemos que estamos crescendo em Deus. E depois queremos revendicar essas grandiosas  e preciosas promessas que diz o texto!

Podemos arranjar tantas desculpas… no meu caso, posso dizer: ah Deus sabe, que com esse barrigão e na espera do baby que está para chegar a qualquer momento, as dores nas costas, na barriga, nos pés são tantas, tanto serviço ainda para fazer no trabalho, tanta coisa ainda para resolver… e depois que o baby chegar, acordar de 2 em 2 horas, recuperar do parto, cuidar do marido, trabalhar… e depois… com tantas responsabilidades da vida, parece que posso parar de crescer como cristã…

Deus nunca requer de nós algo que não podemos fazer… é exatamente por isso que a graça existe… que é poder para nos ajudar fazer o que precisamos fazer.

Que tal nós começarmos este ano com este propósito de sermos mais diligentes no crescimento e na busca de Deus?

Advertisements